domingo, 21 de novembro de 2010

Tem uma brasa aqui dentro
e queima tão incessante
que não existe água no mundo
que possa apagar

Um comentário:

Poemas e Amizades disse...

A essa brasa alguém chama volúpia! Femininidade, volúpia e olhar transversal é difícil para qualquer mortal!